Viewing entries tagged
japão

Dokdo é terra coreana!

Quer um assunto sensível para discutir com um coreano? Fale sobre Dokdo. Quer que a conversa dê pano pra manga, fale sobre Takeshima. As duas palavras se referem à mesma coisa: duas ilhotas pedregosas que ficam no Mar do Japão ("Mar do Leste", para os coreanos) e que são disputadas entre a Coreia do Sul e o Japão. Cada país tem seus argumentos históricos quanto à nacionalidade das ilhas, mas isso não vem ao caso aqui. A ocupação de facto é sul-coreana (com uma população enorme: dois habitantes), e acho que devia mesmo ficar mesmo com os coreanos. Só que o pessoal aqui faz tanto barulho por causa dessa briga, que só resta aos estrangeiros se divertirem.


E nos divertimos mesmo! Os coreanos acreditam estar fazendo uma campanha extraordinária para comover as comunidade internacional, e eu fico me perguntando: num mundo onde ainda temos uma Palestina sem território soberano, que tipo de apoio internacional eles querem para esfregar na cara dos japoneses que Dokdo é Dokdo, e não Takeshima? Ativistas nus protestando em Tóquio contra a o terror da pressão japonesa?

A grandiosa Dokdo. Ou seria Takeshima? 
A grandiosa Dokdo. Ou seria Takeshima? (foto)

Implicações políticas à parte, o bom dessa história toda é uma musiquinha que ensinam pras crianças coreanas aqui, chamada "Dokdo-neun uri ddang" (독도는 우리 땅), que significa "Dokdo é terra coreana". A explicação lógica para dizer que Dokdo pertence à Coreia é fantástica: "O Havaí é americano, Daemado é japonês"... consequentemente, Dokdo é da Coreia. Tão simples! Não sei como esses japoneses não entendem isso...

Aqui vai a música original em coreano:


Mas o melhor MESMO é a campanha que fizeram para traduzir a música para diversas línguas. Eles pegaram alunos estrangeiros na Coreia, devem ter dado alguns trocados ou pagado um samgyeopsal, e zás! Temos a maravilhosa tradução dessa belíssima composição coreana até em português! Desativaram a opção de classificar no vídeo no YouTube (não faço ideia do porquê!), mas aqui posto a versão à la Latino de 독도는 우리 땅! Fica a dica para a Argentina quando quiser apoio internacional na questão das Malvinas. :)

Eu na KBS TV e três países com bola na bandeira

Falta de tempo. Final de semestre tem que matar um leão por dia. Fica aqui então mais um vídeo que esqueci de postar antes. Foi uma breve participação minha na KBS TV no início de novembro, na qual eles falam sobre três países que têm círculos na bandeira: Brasil, Japão e Coreia do Sul. Se bem que a Coreia do Norte também tem um círculo em volta da estrela... mas enfim.

Sem querer dar um de metido a estrela de TV, já tô me cansando desse negócio de aparecer na telinha aqui. Tomaram umas duas horas do meu dia (cheio de coisa pra fazer), nem me pagaram um kimpabzinho, me esforcei com meu coreano meia-boca pra falar um monte de coisa interessante sobre as várias culturas do Brasil que não fosse carnaval, samba e índio da Amazônia, aí no final eles cortam tudo, colocam só as partes óbvias e reforçam o estereótipo.

E ainda vem a japinha logo em seguida e me humilha na fluência em coreano... :)

Samil Jeol e a bandeira sul-coreana

Amanhã é feriado aqui na Coreia. O que significa que minhas aulas só começam na terça! Uhuuu! Um último suspiro de vagabundagem pra gente. ^^

E por causa desse feriado, olha só como estão muitas ruas do país:



Notou alguma coisa um pouco coreana demais? Você não acha que uma bandeira nacional a cada 30 metros é um exagero não? Bom, nacionalismo é uma coisa que brasileiro não entende mesmo. E o que a gente acha que é nacionalismo brasileiro a cada quatro anos, é, na verdade, "copa-do-mundismo", algo muito diferente do sentimento da turma do lado de cá.

Os símbolos nacionais na Coreia têm uma força muito maior que a minha cabeça consegue absorver. É como se o país inteiro fosse uma família gigante. Praticamente as mesmas comidas, os mesmos costumes, a mesma língua, a mesma cultura e a mesma raça no país todo. (Essa parte da raça eu discordo da minha própria frase, porque acredito que esse pessoal é muito mais misturado do que alega ser. Só que como isso não visível na cara deles, jogam pra debaixo do tapete e fingem que todo mundo descende de um único ser coreano que desceu do céu. Mas esse assunto não tem conclusão... voltemos ao feriado)

O feriado de amanhã se chama Samil Undong (삼일 운동) ou Samil Jeol (삼일절), que significa "Movimento de 1º de Março". Ele remete a um evento que aconteceu em 1º de março de 1919, quando a Coreia estava sob o domínio japonês. Um pessoal se juntou em Seul e "declarou" a independência da Coreia, baseados no princípio da autodeterminação proclamada na Conferência da Paz de Paris. (fonte)

Resultado: a japorongada desceu o cacete em todo mundo que viu pela frente! Cerca de 7 mil coreanos foram mortos e muitos outros foram presos. Assim como a Inconfidência Mineira no Brasil, essa foi uma tentativa frustrada, mas que ficou marcada na história do país pela coragem dos que lutaram.

Por isso, tanto no dia 1º de março quanto no dia 15 de agosto, bandeiras nacionais são espalhadas em praticamente todas as ruas da Coreia. O dia 15 de agosto é comemorado porque foi nesse dia, em 1945, que o país se tornou de fato independente do império japonês. Só não esperavam sair do espeto para cair na brasa, com o início da Guerra da Coreia em 1950, que resultou na atual divisão geográfica, política e ideológica da nação coreana.

Abaixo vão mais algumas fotos das ruas aqui perto de casa e em Seul. Bom Samil Jeol pra vocês!

No centro de Yeongtong-dong

Em frente ao Parque Meia-Lua (반달공원)


Saída 6 da estação de Gangnam em Seul

Coreia do Norte e mais merda


Ontem, por volta das 10h da noite aqui na Coreia, Kim Jong-il comandou a execução do segundo teste nuclear da Coreia do Norte. Desta vez explodiram uma bomba nuclear num buraco a 10km da superfície, o que gerou tremores de até 5 pontos na região.

Os governos do Japão e da Coreia do Sul, alvos imediatos no caso de uma guerra, já estão em estado de emergência, correndo para ver se conseguem uma bronca mais severa da ONU para o vizinho "pinta-brava".

A Coreia do Norte, como sempre, diz que os testes são "apenas para garantir a segurança do país e para se defenderem de possíveis ataques". Mas ignoram completamente todo acordo internacional sobre testes nucleares e tapam os ouvidos para a ONU.

Sem querer endemonizar a Coreia do Norte mais do que ela já o é (afinal EUA e amiguinhos também não são santinhos), o que mais me revolta é o comportamento da comunidade internacional com a China. Todos sabem que o regime norte-coreano só está de pé ainda e parece um galinho garnizé peitando todo mundo por causa da cobertura chinesa, tanto ideológica quanto financeira.

Mas na hora das sanções e das pressões, quem toma ferro é só a Coreia do Norte. A ONU faz de boba com o país mais populoso do planeta. Os EUA têm o rabo tão preso com a China, que uma possível instabilidade diplomática pode ter impactos devastadores na economia americana.

Então fica assim. A China dá corda para Kim Jong-il, ele faz as merdas, ouve sermão dos vizinhos capitalistas, finge que negocia alguma coisa para juntar mais uns trocados e depois começa tudo de novo.

Uma hora a merda vira Merda mesmo, com ême maiúsculo.

Acerca do foguete norte-coreano

O satélite norte-coreano foi lançado hoje, domingo, dia 5 de abril de 2009, e já está em órbita. O lançamento foi um sucesso, passou pelo espaço aéreo japonês sem deixar cair pedaço nenhum e não foi interceptado. Apesar dos Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão já estarem preparando o pacote de novas sanções à Coreia do Norte através da ONU (que provavelmente vai ser vetado pela China), não foi desta vez que a relativa paz no sudeste asiático foi perturbada. Esperamos que assim continue, e quem sabe as Coreias se reunifiquem antes de eu voltar pro Brasil? hehe.
Mãe, pode dormir sossegada agora. E fala pra tia Ana Lúcia parar de assistir esses jornais sensacionalistas! =)

Guerra

O motivo desta postagem é, na verdade, para tranquilizar os leitores que porventura estejam preocupados com minha integridade física (leia-se "minha mãe").

Parece que no fim de semana saiu no Jornal Nacional sobre o conflito Coreia do Norte e Coreia do Sul. Então vamos esclarecer as dúvidas.

Desde que aqui cheguei, já ouvi falar algumas vezes que o líder norte-coreano endoideceu de vez e vai atacar a Coreia do Sul. Todas as vezes eu perguntava pra minha professora o que ela achava, e ela sempre dizia "걱정하지 마..." ("não se preocupe"). Dizem que o doidão lá do Norte vem fazendo isso há muito tempo para conseguir dinheiro dos EUA na hora de negociar mais um pouco de paz.

Vamos aos dados positivos:

1) A Coreia do Norte é infinitamente mais pobre que a do Sul.
2) Os Estados Unidos estão presentes aqui de corpo e alma. E não sei se tem alguém a fim de declarar guerra à (ainda) maior potência bélica e econômica do planeta.
3) A Coreia do Sul tem mais tecnologia de guerra, o que demandaria menos soldados para atingir seus objetivos.
4) Por enquanto estou morando em Cheongju, onde, estrategicamente, não seria alvo de bombardeios norte-coreanos. Pelo menos não em um primeiro momento.

Há porém os fatores negativos:

1) Sabe-se lá a quantas anda o projeto nuclear da Coreia do Norte.
2) Sabe-se lá que posição a China e a Rússia tomariam e de que maneira interviriam no caso de uma segunda guerra coreana.
3) Apesar da pobreza, a Coreia do Norte é o país mais militarizado do mundo, com 20% de todos os homens entre 20 e 30 anos alistados no exército (correção após a besteira que escrevi dizendo que o exército deles é menor que o da Coreia do Sul).
4) Kim Jong-il, o presidente norte-coreano, é doido. E doido é doido né.

Agora vamos aos últimos acontecimentos que geraram o bafafá de guerra de novo:

Os EUA e a Coreia do Sul já tinham programado um treinamento de guerra há muito tempo. É apenas uma simulação, e até o Brasil faz isso de vez em quando. Só que desta vez o número de soldados envolvidos preocupou a Coreia do Norte, que desconfia que eles planejam ataca-la e falou para pararem o treinamento imediatamente.

Enquanto isso, a Coreia do Norte planeja lançar um satélite em órbita, para fins pacíficos, segundo eles. Mas como ninguém confia em ninguém por aqui, desconfiam que o tal satélite é, na verdade, um míssil que vão testar no Mar do Leste, perto de ilhas japonesas.

O Japão, por sua vez, tem um escudo anti-mísseis que construiu em parceria com os EUA, e qualquer foguete (seja míssil ou satélite) que se aproxime do Japão, vai ser automaticamente eliminado.

A Coreia do Norte diz que se seu satélite (que pode ser míssil) for destruído, a guerra está declarada. E disseram que não garantem a segurança dos aviões comerciais que sobrevoam o espaço aéreo norte-coreano, o que forçou as companhias a desviarem suas rotas.

Na hipótese de uma guerra declarada, os acontecimentos só vão depender do nível de insanidade dos governantes daqui e dos outros países envolvidos, pois há armamento nuclear dos dois lados. Na pior das hipóteses, uma 3a Guerra Mundial (desta vez nuclear) começaria e duraria pouco tempo, durante o qual boa parte da civilazação viraria pó.

Mas como esta postagem é, supostamente, para tranquilizar minha mãe, eu garanto a vocês que nada disso vai acontecer. É tudo conversa fiada, só gogó. E a vida vai seguir tranquilamente... =D

Primeiro contato

Oi, pessoal! Este eh meu primeiro contato direto do outro lado da bola. Desculpem a falta de acento, mas eh que acabo de encontrar uma lan house aqui, e jah gastei muito tempo tentando comunicar com o cara pra saber quanto eh que a gente paga! Se eu perguntar como configuro o teclado entao... eita.

Bom, entao vamos por partes. Tirei varias fotos ate aqui, mas esqueci o cabo da camera no quarto, entao mais tarde coloco-as aqui para todos terem uma nocao.

A viagem
Nao eh titulo de novela da Globo. Usaria duas palavras pra descrever a jornada pra chegar aqui: CANSATIVA e EXCELENTE. A primeira eh obvia. Sai de Campo Belo na segunda as 6h da manha, peguei o voo em Guarulhos as 14h e chegamos em Roma a 1h da manha (horario do Brasil). La em Roma ja eram 6h. Ate entao a Briza e eu nao haviamos encontrado os dois outros benditos brasileiros que viajaram com a gente (tinha mais um que iria com a familia, mas nao no mesmo voo). Entao, chegando em Roma o Gustavo ficou na porta do aviao com uma placa escrito BRIZA. Nao teve erro ne! Agora so faltava achar a Agatha, que eh a carioca que ficaria comigo em Cheongju. No saguao de embarque em SP mesmo eu ja tinha tentado sair falando "Agatha, Agatha, Agatha" em todos os cantos pra ver se alguem respondia, mas sem resultados positivos. Saindo do aviao em Roma, entramos num onibusinho que nos levaria para o outro lado do aeroporto, e la tentei de novo: "Ooo Agatha!!! Tem alguma Agatha aqui?". Ate que uma baiana disse que veio ao lado dela e que ela estava procurando a gente tambem. Depois de algumas descricoes foi moleza encontra-la. Com os quatro reunidos, comecou nossa breve e emocionante aventura italiana! Tinhamos 8h pra conhecer a cidade antes de pegar o voo pra Toquio. Conversa daqui, conversa de la (e eu falando meu italiano de novela) e achamos melhor pegar um metro pra ir pro centro de Roma. A principio nao vi diferenca nenhuma entre Italia e Brasil. Sujeira pra todo lado, o povo meio sem educacao (a gente tinha que pedir PELO AMOR DE DEUS para as aeromocas atenderem a gente no aviao). O metro indo pro centro e nada da gente ver a Italia que a gente queria. Tinha um casal se agarrando perto da gente, entao resolvemos interromper a agarracao deles pra pedir ajuda. O cara, Alessandro, foi super gente boa e nos ajudou com um roteiro pratico para conhecermos varios lugares que estariam pertos uns dos outros no centro de Roma. Depois voltou com a agarracao com a mulher. Eles eram italianos e haviam se conhecido ha 24 horas, e vinham do Camboja. O cara desceu primeiro e deixou a gente seguir com a moca, que nos ajudaria muito. La pelas tantas descobrimos que estavamos no trem errado! Ela ficou irritadissima e so fazia resmungar "ALESSANDRO!!!" toda hora. O quarteto fantastico do Brasil so fazia rir. E de fato era tudo muito engracado. Italiano eh engracado, porque a gente cresce vendo essas novelas italianas na TV e imitando italiano com a aquela entonacao e gesticulacao que todos conhecem. Pelo jeito era tudo verdade! hehe Anda pra ca, anda pra la, ela parecia estar mais perdida que a gente. Entao, finalmente, quando fomos pra outra estacao, topamos com um casal de brasileiros (uma paranaense e um carioca). Dai em diante nos despedimos da italiana e seguimos com os brasileiros, que apesar de morarem na Italia ha alguns meses ainda nao conheciam nada por la. So sei que quando saimos da estacao subterranea e subimos as escadas demos de cara com o Coliseu! Ninguem tava esperando que fosse assim, entao comecamos a gritar de felicidade e todo mundo olhando os brasileiros malucos maravilhados com a grandiosidade e beleza daquilo tudo. Tiramos um milhao de fotos no Coliseu e saimos andando pela cidade a fora conhecendo outros famosos pontos turisticos. Nao vou detalhar tudo aqui, senao demoro mais 3 horas. O negocio eh que cansamos de andar por la, e por fim decidimos pegar um taxi pra voltar pro aeroporto, pra nao correr o risco de perdermos o voo. O taxista era uma figura. Fiquei conversando com ele em portuliano, e ele ia dando um de guia turistico no caminho. E ainda por cima o cara tinha um tique de ficar balancando as pernas enquanto dirigia, entao era uma cena bizarra, porque o cara fica quicando no banco.
Seguimos para mais 12 horas de voo para Toquio. Sobrevoamos a Russia inteirinha, e fiquei emocionado quando passamos por Vladivostok, que sempre foi um territorio estrategico pra conquistar a Asia e a America do Norte quando jogavamos WAR com a turma em Campo Belo.
Em Toquio ja tava todo mundo exausto! Sorte que tinhamos pouco tempo ate pegar o proximo voo pra Seul. Nesse voo da Korean Air, a comida servida no aviao ja era coreana. Foi entao que senti o drama! A cara dela era boa. Parece ser um arroz com carne cozida e alguns legumes. O problema foi quando colouei a carne na boca, de leve, so pra sentir o gosto, e ja sai cuspindo fogo!!! A pimenta rola solta na Coreia! E ninguem faz nada pra evitar! O Gustavo foi mais esperto e devorou o prato em 2 minutos pra tomar coca-cola de uma vez. Ja eu sofri lentamente. Era uma garfada e um gole de coca!
Chegando em Seul, fiquei impressionado com a grandeza e modernidade do aeroporto. Eh tudo gigantesco! Eu tinha uma ideia de tudo pequeno na Coreia, talvez por ser tao pequena no mapa. Mas que nada! Um espetaculo. Ja na saida tinha duas coreanas com a plaquinha da Universidade de Cheongju rindo e acenando pra mim e pra Agatha. Foi uma recepcao calorosa. Despedimos da Briza e do Gustavo e pegamos o onibus pra Cheongju. Ficamos boquiabertos com a beleza e organizacao do pais pela estrada. Gracas a Deus, eh muito mais bonito do que eu esperava! Em Cheongju ja havia um estudante esperando a gente pra nos ajudar com o que precisassemos. Nao tivemos que pagar nada de nada! O cara chamou um taxi grandao e nos levou pro alojamento.

O alojamento
O apartamento eh otimo. Lugar super tranquilo e arborizado. Soh temos que tirar o calcado na porta. O chao eh tipo uma madeira fininha, com alguma coisa mais macia por baixo. Sao 3 quartos, uma sala e dois banheiros. Cada quarto eh duplo, ou seja, vou dividir o apartamento com mais 5. Estou temporariamente dividindo quarto com um indiano, e ate agora nao chegou mais ninguem. Ta pra chegar mais estrangeiros hoje e na semana que vem os alunos coreanos chegam. Falaram que cada estrangeiro vai ficar com um coreano no quarto. Eh tipo uma troca: os coreanos vao ajudar a gente a aprender e praticar a lingua deles, e nos vamos ajuda-los a falar ingles.

A primeira estripulia na Coreia
O lugar aqui eh tranquilo gracas aos coreanos, que sao timidos e falam baixinho. Pelo jeito os escandalosos aqui somos eu e a Agatha. O alojamento feminino fica ao lado, mas eu nao fazia ideia de onde a Agatha ficaria. Dai uma hora eu olhei pela janela e a vi andando pelo patio, e comecei logo a gritar com ela. Batemos um papinho gritando, e acho que vamos horrorizar esse pessoal daqui... hehe. O Josh (nome adaptado do estudante coreano que nos recebeu em Cheongju) nos levou para comer alguma coisa. Demos uma volta pelo campus, que eh muito bonito! Tudo o que queriamos era comer alguma coisa que nao fosse tao apimentada (depois que soubemos que ate doce de crianca aqui pode ter pimenta, ficamos com um pe atras!). Entao uma coreana simpatica preparou um sanduiche delicioso pra gente, e o cara, mais uma vez, pagou tudo. Parece que eh a universidade que ta bancando tudo por enquanto. A estripulia vem agora. Isso ja era tarde da noite, e o nosso manual de boas-vindas dizia que durante a semana deviamos estar no alojamento antes das 23h. Essa era a regra. Eu comentei isso com o Josh, mas ele me falou que comecaria a valer a partir da semana que vem. Entao nem preocupei. Mas assim que chegamos, despedimos dele, fui pra um lado e a Agatha pro outro. A porta da recepcao nao abriu. Olhei no relogio: 23h45. Putz!!! Fiquei preso do lado de fora logo na primeira noite! E olha que eu nem tinha dormido ainda! Entrei em panico por uns 5 minutos, ate que vi um coreano do lado de fora falando no telefone e fui pedir ajuda. No fim deu tudo certo, mas durante 5 minutos achei que passaria minha primeira noite na Coreia dormindo no banco da praca... hehe.

Agora sao 10h20 da manha aqui. Por algum motivo acordei bem cedo, tipo umas 7h. Deveria ter dormido mais, afinal a viagem esgotou minhas energias. Entao resolvi me aventurar andando pelas redondezas um pouco e acabei achando essa lan house. O reconhecimento de local eh sempre importante. Ja andei arranhando alguma coisa com o cara da loja de conveniencia que fica do lado do alojamento. Fiquei observando as pessoas, as casas, tudo. Achei engracado que, pelo menos aqui perto, todo terreno baldio tem uma hortinha! Voce vai andando pela rua e de repente se depara com uns pes de alface, beterraba, e sei la mais o que. Achei a ideia genial. Imagina se em todo lote vago do Brasil tivesse uma hortinha?
Fiquei observando as coreanas tambem. Achei bom fazer uma analise da beleza coreana logo de cara, para que meu julgamento nao esteja deturpado depois de alguns meses de carencia... hehe. Gracas a Deus vi umas garotas lindas! Vi as feinhas tambem, mas o que seria das bonitas sem as feias?

Bom, vou ficando por aqui. Desta vez escrevi bastante, porque afinal tava todo mundo querendo saber noticias. Mas das proximas vou colocar mais foto e escrever menos hein.

Abraco a todos! Mae, ja to com saudade da sua comida!