Viewing entries tagged
Presidential Council on Nation Branding

Uma Samsunguinha pro blogue

Hoje eu quero dedicar um pouco do meu tempo só pra fazer uma média com vocês, companheiros de prosa deste humilde blogue. Como já disse aqui antes, quando criei o De Prosa na Coreia, o objetivo era pura e simplesmente manter atualizados meus amigos e familiares no Brasil sobre minhas estripulias pelas bandas de cá da bola. Mas acabou que muitos dos leitores mais assíduos são aqueles que nunca vi na vida, que acompanham o blogue por interesse em saber mais sobre a Coreia ou só porque gostam das minhas histórias.

E nessa semana que passou, o De Prosa na Coreia ganhou um prêmio que quero dividir com vocês. (Oba!) Só pra recapitular, em maio deste ano eu recebi um email convidando para participar do programa World Students in Korea, promovido pelo PCNB (Presidential Council on Nation Branding). Eles queriam incentivar os estudantes blogueiros estrangeiros que escrevessem mais sobre a Coreia em suas línguas, para criar vínculos com outros países, já que a Coreia até pouco tempo estava muito isolada. Jogada de marketing do governo coreano, claro.

Como eu já tinha meu bloguinho querido no ar, a única coisa que fiz foi me inscrever e dizer que estava participando. Não mudei nada no estilo ou conteúdo das postagens. Disseram que em novembro dariam prêmios para alguns, mas nem criei tanta expectativa, porque postei umas coisas legais, mas também umas bem polêmicas que com certeza coreano não gostaria de ler.

Resultado: o De Prosa na Coreia não ganhou o melhor prêmio, mas papou o de "blogue de destaque", e eu trouxe pra casa uma câmera da Samsung! êêêêê! ^_^ Até me pediram pra fazer uma apresentação sobre "como fazer um blogue legal". Entupi vocês de elogios, leitores amados e vitaminados. Disse que sem vocês, não teria graça nenhuma atualizar esse cantinho!


Os premiados. Algumas figurinhas repetidas: Gustavo e Jamali (na esquerda) e eu, com o jaquetão de courooooo!


"Faz assim: conta o que você vê nas ruas da Coreia e os leitores vão achar que você é um cara muito criativo e sabe inventar histórias muito bem."


O prêmio. Não é assim uma Brastemp... Mas é uma Samsung.

Quando eu disse em dividir o prêmio, é claro que foi simbólico. Não tô a fim de desmontar minha camerinha nova e enviar as pecinhas pra cada um de vocês... Mas agora não vou ter mais a desculpa de não tirar as fotos na rua. Sempre que eu não quiser carregar meu trambolhão, vou colocar essa belezurinha no bolso. E no final as fotos virão aqui pro blogue, pra todo mundo! :)


O Gustavo também ganhou um prêmio. Mas como os proseadores aqui animam mais nos comentários do que lá, em vez de câmera ele ganhou um MP3 player. Agora ele resolveu apelar pra ver se o Ibope aumenta. Olha só o novo logotipo do blogue dele. E pra variar ainda o entrevistaram depois da premiação, porque são todos apaixonados (homens e mulheres coreanos) pela cabeça pequena do Gustavo. No quesito "monumento nasal" a gente empata, mas como pra coreano quanto menor a cabeça mais bonito é o cara, o Gustavo, cujo crânio parou de crescer quando ele tinha 4 anos de idade, é modelo profissional na Coreia.

Vou ficando por aqui. Só pra descontrair, gostaria que vocês deixassem um comentário dizendo quem é e por que acompanham meu blogue. Sei que sempre há muitos que lêem e não comentam, mas vou ficar feliz só de saber que vocês existem (blogueiro carente? haha). Abraços a todos. E vamos que vamos!

Resumão das férias #1 (Ainda na Coreia)

Estes são meus últimos dias de férias. Dia 1 de setembro começam minhas aulas e, segundo o Juliano, eu vou parar na senzala, como todo mestrando na Coreia. Então é melhor eu contar logo o que fiz nas férias antes que meus dias de lerê-lerê comecem.

Além de Anmyeondo e do Festival de Lama, que já contei aqui, andei passeando em outros lugares na Coreia em meados de julho. É que o pessoal do PCNB (Presidential Council on Nation Branding) - aqueles que descobriram que blogueiro estrangeiro seria uma boa pra divulgar o país deles - levaram a turma de estudantes estrangeiros para dar conhecer algumas das principais empresas e cidades históricas coreanas. Então aí vai uma fotopostagem com algumas cenas das viagens.

HOTEL, POHANG e POSCO


Área de lazer do hotel onde nos hospedamos.


Sessão de fotos.


Não é que fizeram um workshop para ensinar a turma a tirar foto?


Su Hee e eu. E eu "surri".


Eu e Gustavo, já emPOSCADOS.


Agatha e eu. Que saudade dessa maluca!


GYEONGJU

Gyeongju era a capital do Reino Silla, que praticamente comandou a península coreana durante o primeiro milênio. Por este motivo, Gyeongju é hoje uma das cidades históricas mais visitadas na Coreia. Foi uma pena que choveu e ventou tanto no dia em que estivemos lá.

Dizem que tocar nesse porquinho traz boa sorte. Então resolvi bater um papo com o suíno.




E não é que já teve brazuca passando por ali?


A alegria da criança ao tomar água na bica!


Jamali. Praticamente um modelo bengalês.




HYUNDAI, ULSAN

Em Ulsan, fizemos um tour pela maior fábrica da Hyundai. Eles já estão tão acostumados a receber turistas que já têm guias preparados para contar toda a história de sucesso da empresa.

No museu da Hyundai estava essa bicicleta, que pertencia a seu fundador Chung Ju-yung, na época em que a economia coreana era agrária e a renda per capita anual era de 87 dólares. Hoje a Coreia é um país que exporta tecnologia e a renda per capita anual é de quase 30.000 dólares.


Eu e o Genesis. "Genésio" para os íntimos.

No final ainda ganhamos uma livreto com uma foto da turma toda que foi tirada na hora, além de uma miniatura de um carro da Hyundai. Valeu a visita, mas preferia ter ganhado um carro de verdade.

Blogueiros divulgando a Coreia

Fizemos uma rápida viagem hoje para Anmyeondo, uma mais-ou-menos ilha do Mar Amarelo (ou Mar do Oeste, como os coreanos preferem chamá-lo). Mas esta é apenas uma chamada para o próximo capítulo, com direito a vídeo e tudo mais. Hoje vou falar sobre uma reunião que tivemos ontem na Korea University.

Há algumas semanas recebi um e-mail de um novo órgão do governo coreano, convocando todos os blogueiros estrangeiros na Coreia a se cadastrarem no programa deles. O órgão, chamado Presidential Council on Nation Branding (Concílio Presidencial para Divulgação da Nação) foi criado neste ano através de um decreto do presidente Lee Myung Bak. Recebemos um livreto explicando o que eles pretendem fazer com isso e o por quê. Vou traduzir apenas o comecinho, que já explica muita coisa.
A Coreia do Sul passou por uma transformação bem-sucedida, de um dos países mais pobres do mundo à 13ª maior economia do mundo. (...) No entanto, a posição da Coreia no mundo não corresponde aos seus grandes feitos. Ela perde muito prestígio devido a perspectivas negativas, dentre elas:

1. A Coreia não é um participante ativo nas questões globais.
2. A Coreia não é um destino turístico atraente ou residência desejada por estrangeiros.
3. Seu senso de cidadania global é fraco. Abertura e tolerância em relação aos estrangeiros deixam a desejar.
4. O perfil internacional geral da Coreia é baixo.

Com isso, já se pode imaginar o que esse pessoal tá querendo dos blogueiros estrangeiros na terra da manhã calma. Uma menina do Japão deu uma palestra falando sobre o sucesso do blogue dela sobre sua experiência na Coreia, pois tem recebido mais de 200 mil visitas por mês ultimamente. Só achei estranho, porque ela disse que era voltado para o público japonês, mas quando entrei no blogue vi que é todo escrito em coreano!

Para resumir a história, eles pediram pelo-amor-de-Deus para a gente não passar uma visão negativa da Coreia para os nossos países. Em troca eles vão fazer workshops para ajudar a melhorar os sites e escolher blogues para premiar.

Eu até gostei da ideia. Como a abertura da Coreia é algo recente, quase não existe informação consistente sobre este país em outra língua estrangeira que não seja o inglês. Tem gente chegando no meu blogue porque estava pesquisando na internet para fazer trabalho escolar. Outros ouvem "boatos" sobre alguma coisa boa daqui, como o rio Cheonggye, vão lá no Google e digitam "rio que foi despoluído na China ou Japão". A grosso modo, as massas só ouvem falar da Coreia quando é a do Norte, e só sabem que tem um doido lá querendo jogar bomba pra todo lado.

Não gostei foi da ideia de fazer propaganda da Coreia a qualquer preço. Aqui no dpnc não vou mudar nada, apesar de continuar participando das reuniões deles para ver no que dá. E como não falam português mesmo, vou mostrar sempre os dois lados da moeda sob minha perspectiva, como tenho feito.

Mais informações sobre a campanha de divulgação da Coreia no exterior, clique aqui (em inglês). Atualização: abaixo segue o vídeo do evento, no qual eu faço uma breve aparição.