Viewing entries tagged
Música

K-pop Norte-Coreano?

Ultimamente tenho falado tanto da Coreia do Norte que tem gente perguntando o porquê. Ora, a prosa é na Coreia - o que inclui a do norte e a do sul. Mas acima de tudo, porque, ao contrário da maioria dos sul-coreanos jovens, eu me interesso pelo que se passa por lá, e passo horas lendo sobre e tentando imaginar o que pode mudar aqui na península nos próximos anos (ou décadas).


Conjeturas à parte, a cada momento em que o mundo descobre uma coisinha mínima sobre aquele país tão fechado causa espanto. Como a questão da maconha, no post anterior. E como a questão da música popular norte-coreana: o k-pop do Norte. Ou talvez o "NK-pop". Alguns amigos coreanos (e a leitora Vanessa) me mandaram um vídeo com um grupo feminino norte-coreano que dizem ser o equivalente ao Girls' Generation de lá. E aqui vai o tal vídeo com as belezuras acima do paralelo 38 da península:


O grupo se chama Yeoshin (여신), que, traduzido, seria "Deusas". Ele foi lançado no primeiro semestre de 2012 com um único objetivo: animar o exército norte-coreano. Isso fica claro na letra da música, extremamente nacionalista. Para quem não sabe, as menininhas do Girls' Generation também já rebolaram muito para o exército sul-coreano, por isso a comparação faz sentido.

O estilo, no entanto, é bem... norte-coreano. As músicas têm elementos antigos, que parecem mais os trotes sul-coreanos dos anos 70. E o figurino também não é dos mais reveladores, em nome da moral e dos bons costumes, mas com certeza muito mais ousado do que a média no país. Porém, em um quesito não dá para comparar: as norte-coreanas são muito superiores no que diz respeito seu talento com os instrumentos musicais. Não é um mero playback, como na maioria dos grupinhos aqui do Sul. A mulherada sabe mesmo tocar violino, violoncelo, guitarra, bateria, enfim, tem mais substância musical. As vozes não variam muito por causa do estilo, mas quanto a isso não há o que se fazer.

Agora, para quem acha que esse grupinho é uma revolução feminina norte-coreana, muito se engana. Desde os anos 80 já havia um grupo chamado "Wangjaesan Light Music Band" (왕재산 경음악단), formado por mulheres dançarinas que faziam apresentações muito bem coreografadas, com um quê de mágica no meio. Inclusive, dizem que a atual esposa de Kim Jong-un foi integrante desse grupo. Aí vai um vídeo delas:


Ainda descubro como é que elas terminam com um vestido maior do que começaram...

Um outro vídeo, que gravou a TV de um hotel em Pyongyang, mostra como é a música pop dos norte-coreanos. Realmente, um grupo de mulheres que realmente tocam todos os instrumentos é algo que a TV sul-coreana não mostra com frequência. Aliás, apesar de todas as mazelas do comunismo, um mérito há que se reconhecer: eles estão à frente na igualdade de gêneros. Na Coreia do Norte, as mulheres também prestam o serviço militar e não são cheias de frescuras como as japonesas e as sul-coreanas. Logo depois da retirada dos japoneses, os norte-coreanos aprovaram a Lei de Igualdade de Gêneros que dava direitos iguais às mulheres, e as favorecia na posse de terras. O fato de uma mulher ter sido eleita aqui no Sul não significa que no geral elas tenham resolvido o problema da desigualdade de oportunidades. Mas aqui estou eu divagando e falando de política outra vez...

Encerro com o tal vídeo da TV norte-coreana:

Música coreana brega pra cantar no noraebang: "Horang Nabi"

Revelarei agora uma música que nunca deixo faltar quando vou ao noraebang com os amigos. Ela se chama "Horang Nabi" (호랑나비), que significa literalmente "borboleta-tigre". Lindo, não? O autor dessa pérola se chama Kim Heung-guk, e a lançou nos anos 80. O estilo ajoshi da música é conhecido na Coreia como "trote" (트로트), e se asemelha à música brega brasileira (categoria ampla). Os ajoshis e as ajummas adoram o estilo, e sempre que tem algum festival com karaokê aberto, eles dominam no trote.


Quem me apresentou à "Horang Nabi" foi o Juliano, do saudoso Kimchi com Café. Quando cheguei em 2008, perguntei pra ele se tinha algumas músicas pra me passar, para que quando eu fosse ao karaokê já saberia cantar alguma coisa. Tinha outras breguices na lista, mas Horang Nabi marcou minha geração de brasileiros recém-chegados na Coreia, e o Juliano conseguiu fazer um bom número de discípulos, a ponto de todos cantarmos juntos a mesma música no noraebang.

Essa música é tão famosa que qualquer coreano a conhece. E se você a cantar quando for a um noraebang com coreanos, todos ficarão surpresos: "Waaaaaaaaaa!!!!!! Como você sabe essa???? Waaaaaaaaaa!!!! Jinjja jal handaaaa!!!!" E se você, além de cantar, souber dançar Horang Nabi, vai ser a alegria da coreanada. Por isso, preste a atenção na coreografia no vídeo abaixo, e aprenda a breguice.


E a letra é fácil:

호랑나비 한마리가 [horangnabi hanmariga] Uma borboleta-tigre

꽃밭에 앉았는데 [ggotbate anjanneunde] Pousou num jardim de flores

도대체 한사람도 [dodaeche hansaramdo] Mas ninguém mesmo

즐겨찾는 이 하나없네 [jeulgyeochanneun i hana eopne] Ninguém prestou atenção

하루이틀 기다려도 [ haru.iteul gidaryeodo] Ela esperou um ou dois dias

도대체 사람없네 [dodaeche saram.eopne] Mas ninguém mesmo

이것 참 속상해 [igeot cham soksanghae] Ela ficou muito chateada

속상해 못살겠네 [soksanghae motsalgenne] Não dá pra viver chateada assim

호랑나비야 날아봐 [horangnabiya narabwa] Voa, borboleta-tigre!

하늘높이 날아봐 [haneul.nopi narabwa] Às alturas do céu, voa!

호랑나비야 날아봐 [horangnabiya narabwa] Voa, borboleta-tigre!

구름위로 숨어봐 [gureumwiro sumeobwa] E se esconda acima das nuvens!

숨어봐 [sumeobwa] Se esconda!

숨을까 [sumeulkka] Será que se escondeu?

숨었다 [sumeotta] Se escondeu

Dokdo é terra coreana!

Quer um assunto sensível para discutir com um coreano? Fale sobre Dokdo. Quer que a conversa dê pano pra manga, fale sobre Takeshima. As duas palavras se referem à mesma coisa: duas ilhotas pedregosas que ficam no Mar do Japão ("Mar do Leste", para os coreanos) e que são disputadas entre a Coreia do Sul e o Japão. Cada país tem seus argumentos históricos quanto à nacionalidade das ilhas, mas isso não vem ao caso aqui. A ocupação de facto é sul-coreana (com uma população enorme: dois habitantes), e acho que devia mesmo ficar mesmo com os coreanos. Só que o pessoal aqui faz tanto barulho por causa dessa briga, que só resta aos estrangeiros se divertirem.


E nos divertimos mesmo! Os coreanos acreditam estar fazendo uma campanha extraordinária para comover as comunidade internacional, e eu fico me perguntando: num mundo onde ainda temos uma Palestina sem território soberano, que tipo de apoio internacional eles querem para esfregar na cara dos japoneses que Dokdo é Dokdo, e não Takeshima? Ativistas nus protestando em Tóquio contra a o terror da pressão japonesa?

A grandiosa Dokdo. Ou seria Takeshima? 
A grandiosa Dokdo. Ou seria Takeshima? (foto)

Implicações políticas à parte, o bom dessa história toda é uma musiquinha que ensinam pras crianças coreanas aqui, chamada "Dokdo-neun uri ddang" (독도는 우리 땅), que significa "Dokdo é terra coreana". A explicação lógica para dizer que Dokdo pertence à Coreia é fantástica: "O Havaí é americano, Daemado é japonês"... consequentemente, Dokdo é da Coreia. Tão simples! Não sei como esses japoneses não entendem isso...

Aqui vai a música original em coreano:


Mas o melhor MESMO é a campanha que fizeram para traduzir a música para diversas línguas. Eles pegaram alunos estrangeiros na Coreia, devem ter dado alguns trocados ou pagado um samgyeopsal, e zás! Temos a maravilhosa tradução dessa belíssima composição coreana até em português! Desativaram a opção de classificar no vídeo no YouTube (não faço ideia do porquê!), mas aqui posto a versão à la Latino de 독도는 우리 땅! Fica a dica para a Argentina quando quiser apoio internacional na questão das Malvinas. :)