No primeiro vídeo ensinamos os números sino-coreanos, ou seja, os números usados na Coreia que têm origem no chinês. Esses números são considerados mais fáceis (são bem curtos), e são os mais usados pelos coreanos. Eles podem substituir os números coreanos puros (vídeo 2) em algumas ocasiões, mas na maioria das vezes eles têm funções bem distintas.

Para facilitar a comparação, pense na diferença entre os números sino-coreanos e os coreanos puros como a diferença entre os numerais cardinais (um, dois, três) e ordinais (primeiro, segundo, terceiro) em português. O significado não é o mesmo em coreano, mas dá para entender que são sistemas diferentes, usados em situações diferentes. E, assim como no português os numerais ordinais vão ficando mais difíceis quando ficam maiores, no coreano também acontece o mesmo. Por exemplo: é fácil dizer "ele ficou em terceiro lugar", mas é mais difícil dizer "ele ficou em ducentésimo-trigésimo-sexto lugar", e por isso acabamos substituindo por "ele ficou na posição 236".

Portanto, é importante aprender bem os dois sistemas numéricos do coreano, pois ambos são usados o tempo todo, mas não se preocupe tanto em aprender o sistema coreano puro com números acima de 50. Eu diria que até 30 ele é frequentemente usado, mas depois vai ficando mais raro e sendo substituído pelo sistema sino-coreano na linguagem falada.