Enquanto estou escrevendo em português, estou pensando como a nossa mente se acostumou com o alfabeto romano. É uma lógica que, para nós que fomos alfabetizados com ele, parece a mais óbvia: uma letra vem depois da outra, sempre da direita para a esquerda. Outras línguas não seguem a mesma lógica: árabe e hebraico, por exemplo, escrevem da direita para a esquerda. E o chinês, japonês e coreano tradicionais, de cima para baixo.

Mas tem havido uma ocidentalização da escrita oriental: hoje eles preferem escrever da esquerda para a direita. Ainda assim, a lógica do alfabeto coreano não é como a nossa - letra a letra, uma do lado da outra. Elas são agrupadas em sílabas, que podem ter letras do lado, em cima e embaixo umas das outras.

Veja nas figuras abaixo o padrão de agrupamento de letras para formar uma sílaba coreana (C = consoante; V = vogal).

Este é o padrão mais fácil: consoante primeiro, e vogal do lado direito. Lembrando que 

TODA sílaba do coreano TEM QUE começar com uma consoante. Nas sílabas que começam com som de vogal, usa-se a consoante muda "" (a bolinha). Essa consoante, apesar de muda no início, tem um som nasal -ng (como em "song", no inglês) quando está no final da sílaba. Esse padrão CV é para vogais que tem forma vertical. Exemplos: 차 미 너 배 페 갸 려 졔.

Já este padrão (vogal embaixo de consoante) é para as vogais que tem forma horizontal. Exemplos: 두 쥬 스 료 호.

Este padrão é para as sílabas com vogal vertical e qualquer consoante depois, sempre embaixo. Essa consoante que fica embaixo é chamada de batchim. Exemplos: 짐 반 살 핫 맹.

Esta é a sílaba coreana em sua capacidade máxima. Elevador lotado! Quatro letras, e nada mais! Mas este padrão é para vogais verticais, por isso ela fica do lado direito da primeira consoante, e um batchim duplo embaixo. Exemplos: 찮 앉 덟 닭.

Aqui é a mesma lógica, com batchim simples abaixo de uma vogal horizontal. Exemplos: 응 봄 곧 꼭 끝 굿 숍.

E, por último, a sílaba lotada com vogal horizontal e batchim duplo. Exemplos: 늙 흟 끊 몳.

Vale lembrar que os batchims duplos são mais raros, e quase nunca são usados quando você transcreve algo de outra língua para o coreano, usando o hangeul. Para escrever seu próprio nome, por exemplo, não será necessário usar duas consoantes no fim da sílaba, com toda certeza.