Ultimamente tenho falado tanto da Coreia do Norte que tem gente perguntando o porquê. Ora, a prosa é na Coreia - o que inclui a do norte e a do sul. Mas acima de tudo, porque, ao contrário da maioria dos sul-coreanos jovens, eu me interesso pelo que se passa por lá, e passo horas lendo sobre e tentando imaginar o que pode mudar aqui na península nos próximos anos (ou décadas).


Conjeturas à parte, a cada momento em que o mundo descobre uma coisinha mínima sobre aquele país tão fechado causa espanto. Como a questão da maconha, no post anterior. E como a questão da música popular norte-coreana: o k-pop do Norte. Ou talvez o "NK-pop". Alguns amigos coreanos (e a leitora Vanessa) me mandaram um vídeo com um grupo feminino norte-coreano que dizem ser o equivalente ao Girls' Generation de lá. E aqui vai o tal vídeo com as belezuras acima do paralelo 38 da península:


O grupo se chama Yeoshin (여신), que, traduzido, seria "Deusas". Ele foi lançado no primeiro semestre de 2012 com um único objetivo: animar o exército norte-coreano. Isso fica claro na letra da música, extremamente nacionalista. Para quem não sabe, as menininhas do Girls' Generation também já rebolaram muito para o exército sul-coreano, por isso a comparação faz sentido.

O estilo, no entanto, é bem... norte-coreano. As músicas têm elementos antigos, que parecem mais os trotes sul-coreanos dos anos 70. E o figurino também não é dos mais reveladores, em nome da moral e dos bons costumes, mas com certeza muito mais ousado do que a média no país. Porém, em um quesito não dá para comparar: as norte-coreanas são muito superiores no que diz respeito seu talento com os instrumentos musicais. Não é um mero playback, como na maioria dos grupinhos aqui do Sul. A mulherada sabe mesmo tocar violino, violoncelo, guitarra, bateria, enfim, tem mais substância musical. As vozes não variam muito por causa do estilo, mas quanto a isso não há o que se fazer.

Agora, para quem acha que esse grupinho é uma revolução feminina norte-coreana, muito se engana. Desde os anos 80 já havia um grupo chamado "Wangjaesan Light Music Band" (왕재산 경음악단), formado por mulheres dançarinas que faziam apresentações muito bem coreografadas, com um quê de mágica no meio. Inclusive, dizem que a atual esposa de Kim Jong-un foi integrante desse grupo. Aí vai um vídeo delas:


Ainda descubro como é que elas terminam com um vestido maior do que começaram...

Um outro vídeo, que gravou a TV de um hotel em Pyongyang, mostra como é a música pop dos norte-coreanos. Realmente, um grupo de mulheres que realmente tocam todos os instrumentos é algo que a TV sul-coreana não mostra com frequência. Aliás, apesar de todas as mazelas do comunismo, um mérito há que se reconhecer: eles estão à frente na igualdade de gêneros. Na Coreia do Norte, as mulheres também prestam o serviço militar e não são cheias de frescuras como as japonesas e as sul-coreanas. Logo depois da retirada dos japoneses, os norte-coreanos aprovaram a Lei de Igualdade de Gêneros que dava direitos iguais às mulheres, e as favorecia na posse de terras. O fato de uma mulher ter sido eleita aqui no Sul não significa que no geral elas tenham resolvido o problema da desigualdade de oportunidades. Mas aqui estou eu divagando e falando de política outra vez...

Encerro com o tal vídeo da TV norte-coreana: