Como todo bom estudante estrangeiro, eu já fiz muito bico. E um dos muitos que fiz na Coreia pra complementar minha bolsa família estudantil foi narração de vídeos em português. As gravadoras procuravam pessoas que falassem português, e como não há tantos assim, aceitavam o primeiro que aparecesse - como eu. Gravei desde a voz de Deus, no maior estilo Cid Moreira, até dublagem de engenheiros da Hyundai ao lançarem modelos novos no Brasil. Mas o fato é que depois dessas gravações eu nunca mais via o resultado do meu trabalho. Eu sabia que não era lá grandes coisas, pois não tenho voz de locutor, então também não procurei muito pra saber por onde ecoavam minhas cordas vocais... Até que uma amiga postou há pouco no Facebook um vídeo sobre o patrimônio da UNESCO na Coreia. Quando cliquei para ver do que se tratava... tá-dá! Djizas... 47 minutos de uma narração num português macarrônico e com alguns erros graves (afinal o editor era um coreano que nem fala português). Mas enfim, se alguém aí tiver interesse em história antiga coreana, ou quiser apenas entender um pouco mais da cultura, aí vai o vídeo.