Época de Natal na Coreia não tem aquele climão que toma conta de todo mundo como nos países ocidentais. Já contei aqui antes que, como não é um país tradicionalmente cristão, a Coreia basicamente importou alguns elementos seculares do Natal celebrado no ocidente e fez do feriado basicamente mais um dia dos namorados. Sim. Aqui ninguém se preocupa em estar com a família no Natal, pois é época dos casais saírem pra comemorar. Caramba, haja feriado pros namorados: é um dia só DELE ganhar presente, outro dia só DELA ganhar presente, Ppeppero Day pra dar chocolate e Natal pra dar mais presente!

Café com leite da Paris Baguette

Ah, e tem o bolo. No Natal aqui tem que comprar bolo pra comer de casalzinho

Eu, tentando patinar no gelo

Custa só mil wons perto da prefeitura
Mas, claro, não podia deixar de celebrar à la brasileira. Pelo segundo ano consecutivo tivemos uma ceia  excelente na casa da Selma e do Renato, que mais uma vez aderiram à Campanha da Fraternidade coreana e acolheram os brasileiros perdidos por aqui - literalmente, pois a galera dormiu lá. Faltou mais gente, mas também tivemos recém-chegados na turma pra animar
Esse foi meu presente de amigo oculto, comprado pelo Gustavo :)

E tem também alguns vídeos que gravei aqui perto da minha nova casa na última semana, como este, com uma bandinha tocando nas ruelas de Daehangno. Contratados pela Paris Baguette, que competia com o piu-piu da Tous Les Jours que abriu logo em frente.


E, para finalizar, um que gravei agora há pouco numa rua aqui perto. Nevou essa semana e, se não removerem a neve ou não jogarem sal antes dos carros passarem, ela fica compactada de tal forma que vira uma pista de patinação. Resultado: festival de tombos! Eu mesmo levei um tombo outro dia que meu cóccix nunca mais vai esquecer. Qualquer hora ainda pego minha filmadora e deixo o dia todo num tripé nesses pontos críticos. Por enquanto vai só esse videozinho de agorinha.