Toda semana sai algum artigo no Hankyoreh (um jornal claramente de oposição ao governo de Lee Myung-bak) sobre o "Projeto de Restauração dos Quatro Rios". O que eu acho estranho é que nenhum outro jornal coreano fala tanto do tal projeto, e o Hankyoreh não explica o porquê da oposição. Só vejo editoriais com títulos como "O governo deve parar as obras nos quatro rios imediatamente!" ou "Lee Myung-bak não ouve o povo e segue com as obras nos quatro rios".

Imparcialidade passa longe nos jornais daqui. E eu, mesmo tendo várias críticas ao governo de LMB, gostaria de ver os dados do governo e as críticas, para fazer meu próprio julgamento. Parece que a maior crítica é em relação ao processo de licitação, que acabou por beneficiar empreiteiras que apoiaram a campanha do atual presidente. Se for isso, realmente tem que parar e fazer a coisa certa. O problema é que o Hankyoreh coloca a coisa de tal forma que parece que a obra é totalmente desnecessária, e que não tem cabimento nenhum.

Mas como eu não tenho conhecimento técnico sobre o assunto, vou falar de outro exemplo de obra que enfrentou oposição igualmente feroz: a restauração do Cheonggyecheon. E adivinha quem era prefeito de Seul na época? O próprio Lee Myung-bak!

O Cheonggyecheon passou por um profundo processo de deterioração ao longo dos anos, chegando até a ser tampado completamente, continuando a ser poluído longe dos olhos da população. LMB levou adiante então o projeto, que previa a remoção de grande parte do trânsito e comércio da região, a abertura e despoluição completa do rio.

As críticas diziam que o projeto era caro demais e que muitas pessoas perderiam seus empregos. LMB foi contra a opinião pública e levou a cabo o projeto, que hoje é ponto de parada obrigatória para o turista em Seul e motivo de orgulho para os sul-coreanos.

E engraçado é que aqui na Coreia as divisões em esquerda e direita política são meio diferentes de outros países. A direita fica com o discurso duro na política externa ao mesmo tempo em que abraça a bandeira ambiental (meio que Bush pra fora e Obama pra dentro), enquanto a esquerda fala vagamente de movimentos sociais e se opõe a projetos ambientais, sem apresentar alternativas.

Sabe qual vai ser o resultado? LMB vai tapar os ouvidos para os protestos, vai levar o tal projeto dos quatro grandes rios até o fim, e no final das contas o povo vai esquecer que odiava tanto o presidente e vai se orgulhar dos rios sul-coreanos com um sentimento nacionalista. E se LMB acabar por se suicidar, eles vão chorar e dizer que foi um dos maiores líderes que a Coreia já teve.

•            •            •             •             •

Abaixo algumas fotos do Cheonggyecheon ao longo dos anos.

Antes 
(fotos daqui)

Cheonggyechon em 1965
1965
1965
1967, quando começaram as obras para tampar o rio.
1967


Depois 
(fotos daqui)