Esta é a rua Cheongmyeongnam, que fica aqui no meu bairro. Não venham me falar que o nome é grande e complicado, principalmente se você mora numa rua que se chama "Joaquim José da Silva Xavier" ou "Nossa Senhora da Boa Viagem das Filhas Franciscanas."

O problema é que se você chegar aqui em Suwon e perguntar para alguém onde fica a rua Cheongmyeongnam, ninguém vai saber onde fica. Nem mesmo os taxistas. Nem mesmo quem mora no meu bairro. Nem mesmo quem mora na própria rua!

"Como assim? As pessoas aí na Coreia não sabem seu próprio endereço?" Claro que sabem. Se até bêbado chega em casa carregado por taxista, é porque endereço eles têm. Eles só usam um sistema diferente. Vi uma vez este vídeo no Youtube, em que alguém explica o sistema de endereços no Japão. Muito interessante, mas como está em inglês, vou resumir: no Japão, as ruas não têm nomes, mas sim as quadras. Na verdade elas têm números, dentro de cada distrito. A Coreia, não sei se tradicionalmente ou se por ter sido colonizada pelos japoneses, adotou o mesmo sistema.

Mas como nem sempre existe uma placa indicando e as pessoas não memorizam os números das quadras, o sistema mais usado mesmo é o de referências. Quer explicar para alguém onde você mora na Coreia? Então torça para ter algum ponto de referência bem próximo (um supermercado, uma escola, uma praça, etc). Até mesmo os pontos de ônibus têm nomes de pontos de referência, como "parada do E-Mart" ou "parada da Farmácia Chulsoo." O sistema oficial fica mais para uso dos Correios.

"Peraí. Se as ruas não têm nomes, como é que você iniciou a postagem falando do nome de uma rua do seu bairro?" Aí é que começa a confusão. O governo sul-coreano, com o objetivo de internacionalizar (leia-se "ocidentalizar") o sistema de endereços da Coreia, estabeleceu que todas as avenidas, ruas e ruelas devem ter nomes. As quadras continuam tendo números, mas seguem a numeração da rua.

O sistema é até interessante, porque se você está andando numa rua muito comprida, pelo número dá pra saber se você já está na quadra certa ou se ainda faltam duas ou três quadras.

Porém... nenhum coreano usa o sistema novo! Nenhum mesmo. Nem mesmo o sistema de GPS, que os taxistas tanto usam, consegue encontrar algum endereço digitado no novo sistema. O resultado é que as ruas agora têm nomes, mas só "para inglês ver," literalmente.

À esquerda o endereço antigo e à direita o ignorado endereço novo.
Achei a mudança desnecessária. No início a gente estranha, mas depois encontra qualquer lugar sem problemas e nem se lembra mais que antes precisava tanto saber os nomes das ruas. De qualquer maneira, ainda que agora oficialmente as ruas tenham nomes, para mim a Coreia ainda se enquadra na famosa música do U2, "Where the streets have no name" (Onde as ruas não têm nome).