Link para o vídeo aqui

Apesar de ser muito lembrado pelo caso Lewinsky, admiro muito o Bill Clinton e acredito que ele seja um dos políticos norte-americanos que mais sabe negociar. Lembro-me de quando fiz intercâmbio na Universidade do Texas, em Austin, e uma das matérias que peguei era na área de Ciências Cognitivas. Estudávamos como a língua influencia a maneira de pensar, e vice-versa. E para verificar o poder da retórica, um dos modelos que investigamos foi nada menos que o próprio Bill Clinton.

E por quê? Clinton, ao contrário de Bush (os dois), tem uma personalidade um tanto quanto estável, o que já ajuda muito na hora de improvisar. Mas o que o torna um negociador e diplomata de primeira linha é seu conhecimento de mundo e das partes em jogo. Todo presidente tem uma assessoria enorme que o ajuda nos discursos, no que se pode ou não falar. Mas os políticos não vivem de discursos preparados, e é no tête-à-tête que se vê a diferença.

Anteontem, o Bill Clinton, que nem presidente é mais, deu um show de diplomacia. Fez o Kim Jong-Il posar para as câmeras e sorrir feliz, até porque conseguiu o que queria - atenção. Ele entrou no país mais fechado do mundo e convenceu o ditador norte-coreano a cancelar o que já estava decidido - as duas jornalistas americanas estavam condenadas a 12 anos de trabalhos forçados.

Não sou político, mas na medida do possível tento ser otimista e esperançoso. E espero que o Obama siga esse exemplo, quebre os paradigmas e enterre os fantasmas da Guerra Fria de uma vez por todas. Para superar 8 anos muito bem "embushados", Obama vai precisar de muito mais carisma e humildade. Para fazer o mundo confiar que os Estados Unidos não têm mais a cara do imperialismo, e que querem parcerias de igual para igual. Missão difícil essa. "O pepino do Obama é muito maior que o meu", disse Lula...

Tenho esperança também de que eu veja a reunificação das Coreias. E se eu ainda estiver morando na Coreia do Sul, melhor ainda. Vista de camarote!

Mas se eu conseguir ver uma abertura da Coreia do Norte, ainda que no nível de Cuba, já me alegraria muito. Esse pessoal da Terra da Manhã Tranquila tá precisando aprender um pouco com o comunismo latino-americano, que é duro, implacável, mas dá suas reboladinhas. O mundo está mudando. Torçamos que seja para melhor.