Ontem, por volta das 10h da noite aqui na Coreia, Kim Jong-il comandou a execução do segundo teste nuclear da Coreia do Norte. Desta vez explodiram uma bomba nuclear num buraco a 10km da superfície, o que gerou tremores de até 5 pontos na região.

Os governos do Japão e da Coreia do Sul, alvos imediatos no caso de uma guerra, já estão em estado de emergência, correndo para ver se conseguem uma bronca mais severa da ONU para o vizinho "pinta-brava".

A Coreia do Norte, como sempre, diz que os testes são "apenas para garantir a segurança do país e para se defenderem de possíveis ataques". Mas ignoram completamente todo acordo internacional sobre testes nucleares e tapam os ouvidos para a ONU.

Sem querer endemonizar a Coreia do Norte mais do que ela já o é (afinal EUA e amiguinhos também não são santinhos), o que mais me revolta é o comportamento da comunidade internacional com a China. Todos sabem que o regime norte-coreano só está de pé ainda e parece um galinho garnizé peitando todo mundo por causa da cobertura chinesa, tanto ideológica quanto financeira.

Mas na hora das sanções e das pressões, quem toma ferro é só a Coreia do Norte. A ONU faz de boba com o país mais populoso do planeta. Os EUA têm o rabo tão preso com a China, que uma possível instabilidade diplomática pode ter impactos devastadores na economia americana.

Então fica assim. A China dá corda para Kim Jong-il, ele faz as merdas, ouve sermão dos vizinhos capitalistas, finge que negocia alguma coisa para juntar mais uns trocados e depois começa tudo de novo.

Uma hora a merda vira Merda mesmo, com ême maiúsculo.