O motivo desta postagem é, na verdade, para tranquilizar os leitores que porventura estejam preocupados com minha integridade física (leia-se "minha mãe").

Parece que no fim de semana saiu no Jornal Nacional sobre o conflito Coreia do Norte e Coreia do Sul. Então vamos esclarecer as dúvidas.

Desde que aqui cheguei, já ouvi falar algumas vezes que o líder norte-coreano endoideceu de vez e vai atacar a Coreia do Sul. Todas as vezes eu perguntava pra minha professora o que ela achava, e ela sempre dizia "걱정하지 마..." ("não se preocupe"). Dizem que o doidão lá do Norte vem fazendo isso há muito tempo para conseguir dinheiro dos EUA na hora de negociar mais um pouco de paz.

Vamos aos dados positivos:

1) A Coreia do Norte é infinitamente mais pobre que a do Sul.
2) Os Estados Unidos estão presentes aqui de corpo e alma. E não sei se tem alguém a fim de declarar guerra à (ainda) maior potência bélica e econômica do planeta.
3) A Coreia do Sul tem mais tecnologia de guerra, o que demandaria menos soldados para atingir seus objetivos.
4) Por enquanto estou morando em Cheongju, onde, estrategicamente, não seria alvo de bombardeios norte-coreanos. Pelo menos não em um primeiro momento.

Há porém os fatores negativos:

1) Sabe-se lá a quantas anda o projeto nuclear da Coreia do Norte.
2) Sabe-se lá que posição a China e a Rússia tomariam e de que maneira interviriam no caso de uma segunda guerra coreana.
3) Apesar da pobreza, a Coreia do Norte é o país mais militarizado do mundo, com 20% de todos os homens entre 20 e 30 anos alistados no exército (correção após a besteira que escrevi dizendo que o exército deles é menor que o da Coreia do Sul).
4) Kim Jong-il, o presidente norte-coreano, é doido. E doido é doido né.

Agora vamos aos últimos acontecimentos que geraram o bafafá de guerra de novo:

Os EUA e a Coreia do Sul já tinham programado um treinamento de guerra há muito tempo. É apenas uma simulação, e até o Brasil faz isso de vez em quando. Só que desta vez o número de soldados envolvidos preocupou a Coreia do Norte, que desconfia que eles planejam ataca-la e falou para pararem o treinamento imediatamente.

Enquanto isso, a Coreia do Norte planeja lançar um satélite em órbita, para fins pacíficos, segundo eles. Mas como ninguém confia em ninguém por aqui, desconfiam que o tal satélite é, na verdade, um míssil que vão testar no Mar do Leste, perto de ilhas japonesas.

O Japão, por sua vez, tem um escudo anti-mísseis que construiu em parceria com os EUA, e qualquer foguete (seja míssil ou satélite) que se aproxime do Japão, vai ser automaticamente eliminado.

A Coreia do Norte diz que se seu satélite (que pode ser míssil) for destruído, a guerra está declarada. E disseram que não garantem a segurança dos aviões comerciais que sobrevoam o espaço aéreo norte-coreano, o que forçou as companhias a desviarem suas rotas.

Na hipótese de uma guerra declarada, os acontecimentos só vão depender do nível de insanidade dos governantes daqui e dos outros países envolvidos, pois há armamento nuclear dos dois lados. Na pior das hipóteses, uma 3a Guerra Mundial (desta vez nuclear) começaria e duraria pouco tempo, durante o qual boa parte da civilazação viraria pó.

Mas como esta postagem é, supostamente, para tranquilizar minha mãe, eu garanto a vocês que nada disso vai acontecer. É tudo conversa fiada, só gogó. E a vida vai seguir tranquilamente... =D